Novo coronavírus: estou me sentindo estranho, e você?

Novo coronavírus: estou me sentindo estranho, e você?

Tudo em torno do novo coronavírus é novidade! A humanidade observou momentos agudos no tocante as pestes e até mesmo guerras mundiais, mas parte da população atual não conviveu com um ambiente tão adverso como este. A comunicação instantânea, as redes sociais, potencializam este momento.

Eu confesso que estou me sentindo estranho. De um lado sabemos que não é momento para pânico, por outro lado, a reação da população e dos agentes econômicos em particular, tem levado a tomada de decisões emergenciais para contornar e enfrentar os problemas sanitários e econômicos.

No ambiente dos negócios a expressão de ordem é “gerenciamento de crise”. O que fazer com baixas vendas e com o crescimento da inadimplência tem tirado o sono dos gestores das organizações. Além dos aspectos de caixa, o ritmo das atividades está diferente. Quem optou por trabalhar a distância observa queda na produtividade. Decisões mais importantes são adiadas. A concretização dos negócios, ou seja, as vendas, são postergadas.

A pressão psicológica é enorme, e se não tivermos equilíbrio emocional, o pânico se instala.

Mas continuo me sentindo estranho. Somos sabedores que as coisas não podem parar, mas a lentidão dos negócios, gera um certo desespero. Em um primeiro momento temos a impressão que chegamos antecipadamente as férias de fim de ano, com aquelas emendas entre o Natal e o Ano Novo, mas a medida que o tempo passa, vem a triste realidade: estamos em março, em pleno intervalo entre o carnaval e a Páscoa, momento que tudo apontava para bons momentos no ambiente  de negócios.

Como Economista refaço diariamente as contas. Vejo a Bolsa subir e descer. O dólar, que eu não acreditava que poderia bater os R$ 5,00, observo oscilar bem acima deste patamar. As exportações estão sendo prejudicadas. O consumo doméstico será afetado.

Falar em investimentos produtivos é imaginar que os empresários têm bola de cristal, portanto, paradeira total. Enfim, somente abrindo os cofres públicos é que teremos algum refresco. Cai por terra todo esforço do ajuste fiscal projetado pela equipe econômica do governo Federal.

Enfim, sei que não é fácil contornar este momento, e se você também está se sentido estranho, angustiado, peço que busque forças sem seu interior, se agarre nos espiritual, e seja firme e coerente na tomada de decisões.

Percebi ao escrever este texto que devo, em vez de me sentir estranho, focar no que é essencial, e sem me descuidar, mas tendo determinação, enfrentar este momento adverso. Afinal não estamos sozinhos nesta luta. Entendo que de angustiado eu devo praticar meu lado estrategista.

Parafraseando Clarice Lispector: “quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe”. Vamos juntos enfrentar os desafios que o novo coronavírus está impondo. Vamos deixar o pessimismo de lado. Vale a reflexão.

Reinado Cafeo é economista e presidente da Associação Comercial e Industrial de Bauru -ACIB. 🌐 www.reinaldocafeo.com.br

✔ Leia outros artigos como este no blog da ACIB, clicando aqui: https://acib.org.br/blog/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *