Vendas, divulgação e equipes: como as empresas têm reagido à pandemia

Pesquisa da plataforma Agendor com 500 companhias mostra desafios e caminhos encontrados durante a crise. Micro empresas e PMEs são as mais afetadas.

Pode ser na estratégia de vendas ou na redefinição de todo o modelo de negócio. É difícil encontrar uma empresa que não tenha precisado se adaptar, em menor ou maior medida, ao cenário de pandemia. Mas a crise afeta as empresas de maneiras diferentes de acordo com alguns fatores, como o porte, o segmento ou os modelos de venda.

Continue lendo “Vendas, divulgação e equipes: como as empresas têm reagido à pandemia”

Donos de pequenos negócios pedem redução das taxas de juros, impostos e tarifas

Pesquisa feita pelo Sebrae e FGV mostra que empresários conhecem as medidas oficiais lançadas pelo governo federal que flexibilizam regras trabalhistas

Concessão de crédito sem juros e a criação de um auxílio temporário para subsistência do empresário e sua família. Essas são as principais demandas que os donos de pequenos negócios esperam ver transformadas em políticas públicas pelo governo federal. As duas medidas foram sugeridas em uma pesquisa realizada pelo Sebrae, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas.

Continue lendo “Donos de pequenos negócios pedem redução das taxas de juros, impostos e tarifas”

Lei federal institui o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o Pronampe

Medida abre crédito especial no valor de R$ 15,9 bilhões

Por meio da Lei nº 13.999, de 18/05/2020 o Governo Federal instituiu o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte – Pronampe, oferecendo um financiamento extremamente interessante para essas empresas.

O objetivo é garantir recursos para os pequenos negócios e manter empregos durante a pandemia do novo coronavírus no país.

Continue lendo “Lei federal institui o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o Pronampe”

Pratique duas questões-chaves: protocolo e adaptação

Protocolo

Os efeitos positivos e negativos da pandemia do Covid19 serão sentidos ao longo do tempo. Todas as ciências, desde a saúde, passando pela economia, transitando pela sociologia, chegando à psicologia, entre outras, estão tentando explicar o que representa para todos nós e para todos os setores da sociedade este momento ímpar da humanidade.

Neste contexto, depois de interagir com inúmeros profissionais, principalmente neste novo momento das “lives”, indico duas questões chaves que podem ser utilizadas tanto na família, na empresa, enfim, na sociedade como um todo, são elas: protocolo e adaptação.

Está evidente que o mundo não voltará a ser o que era antes da pandemia. As relações entre pessoas e o mundo dos negócios mudarão. Se isso é verdadeiro, tudo indica que quem for capaz de mais rapidamente de estabelece protocolos que preservem e previnam a saúde e ainda se adaptar ao que estão denominando de “novo normal” conseguirão resultados mais rapidamente.

No curto prazo a retomada das atividades, tanto sociais como no mundo dos negócios, se dará a partir de um rigoroso protocolo de convivência. Posto que estamos ainda longe de uma solução definitiva no tocante a prevenção e combate ao Covid19, e que as coisas não voltarão ao normal, quem for capaz de demonstrar a sociedade como um todo que segue rigorosamente um protocolo que mitigue riscos à saúde, certamente terá a empatia das pessoas. Pensando no mundo nos negócios pergunto: o que levaria você e sua família a saírem de casa para ir até um restaurante, tendo o risco em contrair o Covid19? Certamente um dos principais pontos será o quanto você se sentirá seguro do ponto de vista sanitário, para consumir naquele ambiente. Isso se aplica em todos setores de nossa vida. Assim, estruturar um protocolo e divulgar de maneira clara o rigor de sua construção, atrairão pessoas.

Pensando em médio prazo, principalmente para quem é empreendedor a outra questão chave está ligada à sua capacidade de adaptação. Isso vai na linha de entender o comportamento deste “novo” consumidor. Com renda achatada, focando seu orçamento para os bens considerados essenciais, a equipe comercial, e em especial a equipe de vendas, terá um desafio adicional em despertar novamente o desejo deste consumidor. A estrutura da empresa terá que se adaptar, em todas as áreas, a este novo momento.

Os profissionais, liberais ou não, também precisarão se adaptar a este novo mercado. As carreiras, os resultados esperados, enfim, aquilo que cada de um de nós projetou como realização profissional, precisarão ser revistos, adaptados e ajustados as novas formas de desenvolver a carreira. Isso garantirá sobrevivência no mercado.

O indicativo é que aproveitemos nosso tempo, que está de alguma maneira reduzido pela queda no nível da atividade econômica, e até mesmo pela quarentena (pelo menos para parte da população), e nos preparemos para estas duas novas questões: sermos rigorosos nos protocolos, e sermos capazes de nos adaptar a este novo momento.

Não adie mais refletir e colocar em prática estas questões.

Reinado Cafeo é economista e presidente da Associação Comercial e Industrial de Bauru -ACIB. 🌐 www.reinaldocafeo.com.br

✔ Leia outros artigos como este no blog da ACIB, clicando aqui: https://acib.org.br/blog/

Assista o ACIB Orienta AO VIVO desta semana com notícias sobre o Pacto Bauru da prefeitura

Esta semana no ACIB Orienta AO VIVO o presidente da ACIB, o economista Reinaldo Cafeo, comenta sobre o Pacto Bauru proposto pela prefeitura e que foi discutido em reunião com prefeito e secretários, onde fez vários questionamentos.

Também participou o especialista em marketing digital, Paulo Milreu da Inteligência Digital, falando sobre o portal de compras COMPREEMBAURU.COM e o andamento desse projeto.

Assista a gravação completa da transmissão aqui.

Paulo Milreu, especialista em marketing digital e o economista Reinaldo Cafeo, presidente da ACIB

O Especial Coronavírus da ACIB é produzido pelo ID Labs, solução de Curadoria Estratégica de Conteúdo.

Paschoalotto oferece 500 vagas para operadores de telesserviços

A Paschoalotto Serviços Financeiros iniciou o processo seletivo para contratação de operadores de telesserviços. A empresa oferece 500 vagas para as cidades de Bauru e Marília. 

Em virtude da pandemia, o processo de seleção foi adaptado e deve ocorrer virtualmente. O objetivo é manter os candidatos em segurança e oferecer oportunidades de emprego. A Paschoalotto possui vagas para aposentados e pessoas com deficiência. 

Confira os pré-requisitos para as vagas:

  • Ensino médio completo;
  • Ter mais de 18 anos;
  • Residir nas regiões de Bauru e Marília;

Os interessados devem enviar uma mensagem, através do WhatsApp, para agendar a entrevista.

Contato:
Bauru (14) 991253917
Marília: (14) 998453073

O Especial Coronavírus da ACIB é produzido pelo ID Labs, solução de Curadoria Estratégica de Conteúdo.

Foto: Nensuria / Freepik


A hora e a vez do varejo de proximidade

A crise está acelerando mudanças que já se anunciavam no horizonte. Uma dessas tendências turbinadas é a valorização da proximidade.

O estilo de vida moderno e as mudanças demográficas, em especial nos grandes centros urbanos, vinha aos poucos alterando a maneira como as pessoas consomem – e também o lugar onde fazem suas compras. Como consequência, polos comerciais mais próximos das residências ou locais de trabalho da população dessas cidades estavam ganhando espaço, à medida que conseguiam oferecer a mistura precisa entre produtos e serviços relevantes para o público da região.

Continue lendo “A hora e a vez do varejo de proximidade”

Finanças na Pandemia: Confira as dicas de Reinaldo Cafeo para gerenciar o orçamento familiar

A organização das finanças do lar é um desafio para muitas famílias brasileiras. Nesse momento de crise, o planejamento financeiro se tornou fundamental para lidar com os imprevistos causados pela pandemia e realizar o pagamento das contas no final do mês.

Nesse contexto, a educação financeira é o primeiro passo para adquirir novos hábitos e enfrentar o momento com mais tranquilidade. 

A situação exige equilíbrio entre a renda mensal e as despesas fixas.  Diminuir gastos excessivos e priorizar itens essenciais é uma das dicas do economista e Presidente da ACIB, Reinaldo Cafeo. Confira no vídeo essas e outras instruções para administrar o seu dinheiro:


Reinaldo Cafeo ensina como controlar as finanças durante a quarentena provocada pela COVID-19.

O Especial Coronavírus da ACIB é produzido pelo ID Labs, solução de Curadoria Estratégica de Conteúdo.


Moda recorre ao digital para produção e vendas

Varejistas realizam campanhas e atividades online para consumidores visando manter contato e aumentar a venda no e-commerce

Há pelo menos dois meses, o passar as mãos por cabides de roupas, escolher algumas para levar ao provador e, então, decidir se vai adquirir o produto ou não, deixou de ser uma realidade. Brainstorms em grupos, escolha de tecidos, confecção das peças, shootings de modelos e exposição nas araras das lojas para o consumidor final foram algumas das etapas rotineiras da indústria da moda que foram afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

Agora, empresas do setor recorrem ao digital para manter a interação com o consumidor, realizar ensaios fotográficos e vender. A maioria das lojas de roupas e parques fabris das varejistas estão com a operação fechada por conta das medidas de isolamento social.

Continue lendo “Moda recorre ao digital para produção e vendas”

SP foi único estado com alta nas vendas do comércio em março, mostra IBGE

Na média do país, o setor registrou queda de 2,5%, o pior resultado para meses de março desde 2003 e menor taxa mensal desde janeiro de 2016.

Na contramão do restante do país, as vendas do comércio varejista no estado de São Paulo registraram alta de 0,7% em março, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Das 27 unidades da federação, apenas em São Paulo houve crescimento das vendas na comparação com fevereiro. Na média do país, o setor registrou queda de 2,5%, o pior resultado para meses de março desde 2003 e menor taxa mensal desde janeiro de 2016 (-2,6%).

Continue lendo “SP foi único estado com alta nas vendas do comércio em março, mostra IBGE”