Empreendedorismo é o tema da palestra do Projeto Mulher Empreendedora

Você sabe o que é empreendedorismo? De acordo com Camila Serra, empresária consultora e professora, ser uma mulher empreendedora não significa  ser otimista o tempo todo e salvar o dia personificando uma heroína das histórias em quadrinhos.

“A mulher empreendedora não é a mulher maravilha, precisa estabelecer parcerias com profissionais que possam contribuir com sua ideia de negócio e que estejam alinhados aos valores deste negócio”, explica Camila.

A empresária iniciou a reflexão desmistificando o Empreendedorismo, tema de sua palestra, realizada no dia 15 de outubro, no auditório da ACIB. Afinal, como definir esse assunto tão complexo e desafiador? Essa foi a discussão central do encontro do Projeto Mulher Empreendedora deste mês.

Os anos de pesquisa e a experiência como empresária fizeram Camila Serra concluir que empreender é utilizar nossas habilidades para transformar a nossa realidade e a vida das pessoas. 

Camila iniciou o debate questionando a plateia sobre o tema e as respostas foram distintas. O Empreendedorismo foi descrito como um chamado, um desafio, um ato de coragem, entre inúmeras definições.

Para a empresária Simone Regina Rodrigues Ramos o essencial é ser persistente: “Primeiro, é preciso acreditar em mim, saber em qual área eu quero atuar. As dificuldades existem, mas não posso desistir. O mais importante é descobrir soluções quando tudo parecer perdido, então nasce uma grande empreendedora”, diz.

Plano de Negócios Circular 

Camila Serra apresenta o Plano de Negócios Circular

Independente de qualquer interpretação ou conceito, para empreender é necessário disciplina e planejamento em todas as esferas. Desde a gestão de finanças, da equipe, atendimento e serviços.

“O primeiro passo para empreender é identificar suas habilidades, escolher algo que realmente goste de fazer, pensar nos principais pontos de um planejamento para colocar em prática sua ideia é identificar o que é possível realizar e as parcerias que poderão contribuir”, diz Camila.

Para organizar cada uma dessas áreas, Camila desenvolveu, em parceria com o professor Flavio Mangili Ferreira,  o Plano de Negócios Circular, um método que auxilia empreendedores durante o processo de implantação de um negócio. 

O grande diferencial é que o planejamento de cada uma das esferas que compõem o Plano está em constante transformação. Nesse sentido, o processo se torna um ciclo de aprimoramento.

Os ensinamentos da palestrante cativaram todas as mulheres da plateia, entre elas a empresária Elaine C. B. Corrales, que participou pela primeira vez do Projeto Mulher Empreendedora e  revelou seu entusiasmo após a palestra: “Estou acreditando muito nesse projeto, porque está trazendo palestras de outras mulheres muito inspiradoras, muito capacitadas, com muito conteúdo e conhecimento e principalmente generosidade por compartilhar a vivência delas conosco. Eu já conhecia um pouco do trabalho da Camila Serra e fiquei encantada com a palestra dela”, explica. 

Após a discussão, Camila encerrou o evento interpretando a música “Fascinação”, recebendo uma salva de palmas das participantes. 

Planejamento Estratégico é tema da próxima palestra

O próximo encontro do Programa Mulher Empreendedora ACIB será realizado no dia 19 de novembro às 19h, com a palestra Planejamento Estratégico, ministrada pela engenheira, administradora e professora, Alessa Berretini.

A palestra é gratuita para associadas da ACIB e tem um valor de R$ 80,00 para não associadas. As inscrições podem ser feitas aqui:
Quero participar!

Para se associar e ter acesso ao ciclo de palestras do Mulher Empreendedora gratuitamente, além de outros serviços da ACIB, a mensalidade é de apenas R$ 42,00 e a inscrição pode ser feita neste link: Faça parte da ACIB!

Lançamento do ACIB Educa anuncia parceria com o Sebrae-SP para aumentar as vendas nesse final de ano

A Associação Comercial e Industrial de Bauru lançou, no dia 14 de setembro, o ACIB Educa, uma iniciativa desenvolvida para capacitar empresários associados e não associados, através de cursos, palestras e oficinas que serão realizados na entidade.

Na primeira fase do ACIB Educa, foi apresentado o Programa Surpreenda Varejo – Datas Comemorativas, uma realização do Sebrae-SP em parceria com a ACIB. O presidente da Associação Reinaldo Cafeo, anunciou a parceria com o Sebrae-SP. A proposta é transmitir conhecimento utilizando as datas comemorativas para obter resultados positivos para as empresas.

Segundo o gerente regional do Sebrae, Wilson Nishmura, a proposta é aquecer o varejo durante o trimestre mais importante para o setor, com a chegada da Black Friday e o Natal. 

De acordo com a analista de negócios do Sebrae-SP, Cintia Fortuna “O objetivo do programa é criar uma sinergia entre os líderes e colaboradores, para realizar melhoria nos atendimentos aos clientes e também uma gestão mais eficiente”, explica.

O poder das mudanças no desenvolvimento dos negócios

Coronel Manoel Messias Mello ministrando a palestra “Mudança de Hábito: Encontre uma Nova Rotina”

 O evento também  contou com a presença do Coronel Manoel Messias Mello que ministrou a palestra “Mudança de Hábito: Encontre uma Nova Rotina”.

De maneira didática e bem-humorada o palestrante interagiu com o público e fez um convite aos empresários, sugerindo mudanças na rotina das empresas. De acordo com o palestrante, a sociedade enfrenta uma série de transformações que afetam nosso cotidiano e propõem novos desafios no ambiente corporativo.

O Coronel divertiu a plateia com a cena clássica do coral de freiras do filme Mudança de Hábito, interpretado pela atriz Whoopi Goldberg. O filme representa senso de equipe e liderança, características essenciais para o sucesso de qualquer negócio. 

O palestrante afirma que a função do líder é monitorar, capacitar e acreditar no potencial de seus colaboradores. Nesse caminho, a dedicação é essencial para o desenvolvimento da empresa. O lado humano aliado ao trabalho árduo, também devem estar presentes no conjunto de qualidades do time de uma organização.

Programa Surpreenda Varejo – Datas Comemorativas

Diretoria da ACIB , equipe do Sebrae-SP e o Coronel Manoel Messias Mello.

A programação inclui oficinas e palestras, além de revelar técnicas para conquistar novos clientes, proporcionando uma ótima experiência, além de métodos para selecionar uma equipe de sucesso.

Cintia Fortuna explica como a iniciativa vai ajudar no aumento das vendas. “O varejo atualmente está muito dinâmico e o programa vai auxiliar os participantes a tornar as empresas mais atrativas e inovadoras para os consumidores que estão cada vez mais exigentes e buscam sempre novidades e experiências de compra diferenciada”, declara.

As inscrições para participar do Programa são limitadas e podem ser feitas através da ACIB. O investimento é de 400 reais, mas para os nossos associados preparamos um desconto de 10% na taxa de adesão.

Saiba mais sobre o projeto através do WhatsApp: https://whats.link/atendimentoacib

Acompanhe as novidades do ACIB Educa através das nossas redes sociais.

Destruição criativa

Destruição criativa

A expressão destruição criativa tem sido muito utilizada quando a leitura se dá no campo das mudanças impostas pelo avanço tecnológico. Muito embora ela explique fenômenos atuais, seu conceito remonta da década de 1940 quando o austríaco Joseph Schumpeter a popularizou.

A teoria da Destruição Criativa foi desenvolvida para explicar as transformações que ocorrem no Capitalismo devido ao seu dinamismo. Este fenômeno ocorre quando empreendedores criam novos produtos ou novas formas de produzir causando mudanças na economia.

Ao longo dos tempos há inúmeros exemplos deste fenômeno, da substituição das velas e tochas por lâmpadas elétricas até a recente substituição dos telefones fixos pelos celulares.

O que está por trás da Destruição Criativa é a inovação. De um lado a solução equaciona determinadas necessidades dos consumidores com uso com novas ferramentas, criativas, portanto, há ganhos, e de outro lado há dor, pois todo um segmento ou fatia da população pode ser afetado com as mudanças ocorridas.

Como exemplo pode ser citado à chegada das máquinas e da alta tecnologia na agricultura, portanto ganhos, e por consequência a saída do uso intensivo da mão de obra, com perda de postos de trabalho.

A introdução dos aplicativos de transportes é outro exemplo da Destruição Criativa: táxis tradicionais são substituídos por demandas via aplicativos, reduzindo os custos deste tipo de transporte.

Evidentemente que os chamados “criativos” nem sempre conseguem operar no mercado. Uma inovação, por provocar mudanças estruturais na economia, pode ser barrada com regulamentos, tributos, entre outras exigências, tanto do setor público e até mesmo por pressão daqueles que serão afetados com estas mudanças. Há uma tentativa de bloquear ou segurar por longo período avanços nesta direção.

Há muita coisa sendo pensada e enquanto você lê este artigo novas ferramentas estão sendo criadas, as quais, certamente, irão impor mudanças na estrutura da economia e na forma de agir no mundo da economia. O que mudou ao longo do tempo é a velocidade.

Se antes uma mudança tecnológica levava anos e até décadas para ser implantada, agora, em curto espaço de tempo as coisas mudam, representando para a humanidade um enorme desafio no sentido de acompanhar tais mudanças.

Na teoria da Destruição Criativa há uma única certeza: as coisas mudarão, portanto, esteja aberto ao novo. Fique atento as novas “Destruições Criativas” que estão por vir.

Reinaldo Cafeo é economista e presidente da Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB.

Como a Reforma da Previdência vai afetar sua vida?

Como a Reforma da Previdência vai afetar sua vida?

Os impactos da reforma da Previdência Social para a sociedade e os negócios são tema da palestra realizada nesta quinta-feira na ACIB

No dia 26 de setembro a ACIB recebe o presidente do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon Nilton Molina, para abordar os impactos da Reforma da Previdência Social.

O executivo, referência no País em previdência, apresenta os desafios e os principais pontos que afetam a sociedade e os negócios nesse contexto. O evento é gratuito e as inscrições para podem ser realizadas neste link.

O fenômeno longevidade será um aspecto importante discutido durante o evento. Segundo João Carlos Baio, superintendente comercial da Mongeral Aegon Seguros e Previdência “O brasileiro está vivendo cada vez mais, e é preciso se preparar financeiramente para viver bem. Isso, consequentemente, passa pela previdência”, explica.

A Mongeral Aegon Seguros e Previdência possui quase 200 anos de história no Brasil e opera nesse campo, oferecendo coberturas para morte, invalidez, doenças graves, sucessão e blindagem patrimonial, além de planos de previdência privada.  

Para o superintendente “O mercado de seguro de vida e previdência é um forte aliado para a sociedade no planejamento financeiro.A companhia atuamos com profissionais especializados na identificação das necessidades de cada cliente e no oferecimento de soluções sob medida de acordo com cada perfil”. afirma João Carlos.

Sobre o palestrante 

Nilton Molina é presidente do Instituto de Longevidade Mongeral Aegon e do Conselho de Administração da seguradora multinacional Mongeral Aegon.

O executivo é diretor da Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg) e membro do Conselho Deliberativo da Associação Comercial de São Paulo.

Foi integrante Conselho Nacional de Previdência Complementar – CNPC do Ministério da Previdência Social. É um grande estudioso e uma das referências no país quando o assunto é longevidade e previdência. 

Reunião da RA 12 tem palestra sobre Cadastro Positivo

RA 12

A Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB recebeu, no dia 13 de setembro, mais um encontro da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo da Região Administrativa 12 (FACESP – RA 12), que tem como vice-presidente a diretora da ACIB, Patricia Rossi.

A reunião, contou com uma palestra de Everton Fiorelli, gerente comercial da Rede Boa Vista-SCPC, sobre Cadastro Positivo. Segundo a vice-presidente, o propósito foi tirar as dúvidas sobre a nova lei e esclarecer como o Cadastro Positivo funciona.

Durante o encontro, que contou com a participação de representantes de associações comerciais da região e teve as presenças do presidente da ACIB, economista Reinaldo Cafeo, e do vice-presidente da entidade, Paulo Roberto Martinello, também foi abordado o 19º Congresso da FACESP, que será realizado entre 30/10 e 01/11, em Atibaia.

Patricia Rossi salientou a importância da participação dos membros das associações nas reuniões e também no Congresso. “São momentos importantes para a troca de informações e de experiências”, disse a vice-presidente da FACESP – RA12.  

RA 12
Everton Fiorelli, gerente comercial da Rede Boa Vista-SCPC, ministrou a palestra.



Mariana Petelinkar apresenta dicas sobre comportamento e sucesso no ambiente profissional

Mariana Petelinkar

Você já refletiu sobre o impacto do seu comportamento nas relações de seu ambiente de trabalho? A linguagem, a pontualidade e a roupa adequada podem fazer a diferença na esfera profissional. Esses aspectos envolvem a “Etiqueta Corporativa”, tema desenvolvido na palestra realizada no dia 17 de setembro, ministrada pela empresária e diretora da ACIB, Mariana Petelinkar.

A etiqueta consiste nas normas que orientam nosso comportamento e podem variar de acordo com a época e a cultura na qual o indivíduo está inserido. Segundo a empresária, a chave para esses códigos é o bom senso, além do respeito ao próximo e naturalidade.

Durante o evento, que contou com a presença de cerca de 40 participantes, Mariana apontou dicas valiosas para a integridade na vida profissional, entre elas a segurança ao falar, a cordialidade, organização e o respeito à privacidade dos colegas. “O escritório é uma comunidade e comunidades funcionam melhor quando as pessoas são educadas e gentis umas com as outras”, avalia a empresária. 

As ligações telefônicas seguem as mesmas regras. Segundo Mariana, ser breve e evitar atender ligações durante uma reunião são pontos importantes no código das boas maneiras.

O evento atendeu as expectativas do público. A publicitária Ana Maria de Souza acredita que a etiqueta faz toda a diferença no ambiente profissional. Para ela, as orientações em relação ao tom de voz, a simpatia e o uso do telefone foram temas fundamentais abordados pela palestrante.

Do ponto de vista da advogada Amanda Alcantara Parejo, a palestra ofereceu orientações que contribuem para um ambiente de trabalho agradável. “As dicas foram relevantes, mas acredito que a maneira de se portar e um bom atendimento foram essenciais”, explica.

O assédio no ambiente de trabalho e o comportamento em festas da empresa também foram temas fundamentais citados pela palestrante.

A Dra. Ana Cláudia Pires Ferreira de Lima, Juíza Diretora do Fórum Trabalhista de Bauru elogiou o evento e a iniciativa do projeto Mulher Empreendedora, realizado pela ACIB. “Mariana Petelinkar, aborda, de forma descontraída e com toques de humor, os padrões de comportamento no ambiente de trabalho e a importância da integridade da pessoa em todas as suas ações”, afirma.                              

A juíza ressalta, ainda, a importância do papel da associação. “A assessoria das empresas, da forma como é prestada pela ACIB, é essencial para orientação dos empreendedores sobre o cumprimento da legislação em vigor, primando por um bom ambiente de trabalho”.

Mariana Petelinkar
Encontro contou com participação de 39 mulheres empreendedoras.

Empreendedorismo é tema da próxima palestra

O próximo encontro do Programa Mulher Empreendedora ACIB será realizado no dia 15 de outubro, às 19h, com a palestra da empresária, consultora e professora Camila Serra sobre “Empreendedorismo”.

A palestra é gratuita para associadas da ACIB e tem um valor de R$ 80,00 para não associadas. As inscrições podem ser feitas aqui: Quero participar!

Para se associar e ter acesso ao ciclo de palestras do Mulher Empreendedora gratuitamente, além de outros serviços da ACIB, a mensalidade é de apenas R$ 42,00 e a inscrição pode ser feita neste link: Faça parte da ACIB!

Bauru tem grande potencial para a utilização da Mediação e da Arbitragem

Mediação e Arbitragem

Tema foi debatido por especialistas em evento realizado pela CBMAE na ACIB

A vocação de Bauru para o comércio faz com a cidade tenha um grande potencial para a utilização da Mediação e da Arbitragem como formas de resolução de conflitos.

A opinião é da advogada Marcela Carneiro da Cunha, presidente da Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem (CBMAE) – Regional Bauru, que debateu o tema em evento realizado no auditório da Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB.

Em formato de mesa-redonda, o encontro contou com a participação da advogada Márcia Negrisoli Fernandez Polettini, presidente da OAB-Bauru; Ana Carla Criscione, juiz de Direito e juíza Coordenadora do Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc) e Cristiane Canellas, advogada e professora universitária. O economista Reinaldo Cafeo, presidente da ACIB, mediou o debate.

A Mediação, segundo a CBMAE, é uma “forma de solução extrajudicial de controvérsias em que o terceiro mediador (ou mediadores) tem a função de aproximar as partes, para que elas negociem diretamente a solução desejada de sua divergência”.

Assim, as partes em conflito mantêm o poder de decisão sobre a questão.

Já na Arbitragem, ainda de acordo com a CBMAE, as partes envolvidas têm autonomia para definir: quantidade (sempre ímpar) e o nome dos árbitros, o local em que se dará o processo, os procedimentos e as regras a serem usados no processo e todos os detalhes envolvidos.

Ambas soluções são mais simples e baratas que um processo judicial e o evento realizado pela CBMA – Regional Bauru foi pensando para disseminar essa informação entre advogados, contadores, empresários, árbitros e interessados sobre o tema.

Para Cristiane Canellas o evento foi um sucesso. “A mudança de paradigma, da cultura do litígio para cultura da pacificação tem que ser difundida. É uma evolução e uma conquista que vamos obter gradativamente”, afirma.

Marcia Negrisoli concorda. Para ela, o evento propiciou a divulgação de métodos extrajudiciais de solução de conflitos, contribuindo para a disseminação da cultura da paz. “É primordial que as pessoas entendam que não há necessidade de recorrer ao Judiciário para toda e qualquer situação de forma indiscriminada”, explica.

Mediação e Arbitragem
A advogada Marcela Carneiro da Cunha, presidente da CBMAE.

Divulgação é primordial

Apesar de serem grandes facilitadoras a Mediação e a Arbitragem não são tão utilizadas quanto poderiam.

“Atualmente, no Brasil, a litigiosidade está exacerbada, a ponto de termos um processo em andamento para cada habitante. Com a conscientização de que os conflitos podem ser resolvidos por concessões mútuas ou por um árbitro escolhido pelas partes, a litigiosidade tende a diminuir como é a tendência mundial”, afirma a juíza Ana Carla Criscione.  

Divulgar para toda sociedade as vantagens de se evitar o litígio é fundamental.

“Atualmente as pessoas têm buscado soluções rápidas e menos dispendiosas para resolver seus problemas, o que geralmente não ocorre em um processo judicial”, lembra Cristiane Canellas.  

“É importante difundir a apresentar os métodos de resolução de conflito, mediação e arbitragem, que certamente atendem essas necessidades. O indivíduo tem seu problema resolvido em tempo razoável, com menor custo”, completa a advogada e professora.

Para Marcela Carneiro da Cunha, foi possível orientar os presentes ao evento sobre os mais atuais conceitos de Mediação e Arbitragem, “aliando, de forma dinâmica, esclarecimentos teóricos e situações fáticas”.

Segundo a presidente da CBMAE, o órgão deve continuar o trabalho de divulgação das soluções extrajudiciais.

Mediação e Arbitragem
Integrantes da mesa-redonda e participantes do evento da CBMAE.

BID reúne mais de 900 pessoas para falar de inovação em Bauru

BID

A segunda edição do Bauru Innovation Day – BID, reuniu, em dois dias, mais de 900 pessoas, consolidando-se como o maior evento de tecnologia e inovação realizado em Bauru e região.

O lançamento da edição de 2019 foi feito na noite do dia 28 de agosto, na sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Bauru e contou com uma palestra do empresário e autor Wilson Poit.

BID - Wilson Poit
O empresário e autor Wilson Poit palestrou na abertura oficial do BID.

O evento foi prestigiado por cerca de 260 pessoas e contou com a presença de autoridades, como o prefeito municipal Clodoaldo Gazzetta e a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Renda, Aline Fogolin.

No dia seguinte, no Alameda Rodoserv Center, o BID recebeu, aproximadamente, 700 pessoas que acompanharam uma série de palestras sobre inovação, tecnologia, empreendedorismo e gestão, entre outros temas, além de apresentações de três startups escolhidas para mostrarem seus produtos no evento.

Estiveram no palco da segunda edição do BID: Gustavo Carrer, da GUNNEBO; Lorenzo Sanfelice Frazzon, da INVESTTOR; Marcio Bueno, da BE&SK; Leandro Queiroz, da FAAP; José Marques, do SEBRAE–SP; Flavio Terni, da Giant Steps; além de Demetrius Ferracciú, da equipe Sendi/Bauru Basket e Paulo Milreu, do Sandwich Valley.

BID - Sandwich Valley
A palestra da Sandwich Valley trouxe um mapa das startups de Bauru e região.

O Bauru Innovation Day foi encerrado com uma palestra do empreendedor, escritor e palestrante Geraldo Rufino. Dono de uma trajetória de vida inspiradora, ele terminou o evento com uma mensagem positiva sobre a necessidade de se reinventar para superar as diversidades e pensar diferente para poder inovar.

BID - Menostinta
A Menos Tinta foi uma das três startups escolhidas para se apresentar no evento.

O BID foi realizado pela Asserti, juntamente com a Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB, SESI, SENAI,SEBRAE-SP, Sedecon-Bauru, OAB-Bauru, Sevna Startups, Assenag e Sandwich Valley.  

Minha nada mole vida

Cafeo Nada mole vida

Este título é de uma obra de Fernanda Young, que nos deixou prematuramente, criada em 2006, tendo o ator Luiz Fernando Guimarães como protagonista de uma comédia familiar. A série retratava a vida nada mole de um jornalista, principalmente, ao ter que lidar com seu filho.

Pensei neste gancho para retratar a vida de quem quer empreender neste País. Não é mole não. O ambiente de negócios, além de extremamente dinâmico e instável, ainda dificulta a implementação de ações de longa duração.

Observemos os indicadores econômicos. Dois anos de recessão (2016 e 2017). Um ano de baixo crescimento em 2018. Eleições, novo Presidente, nova equipe econômica, projeção da retomada do crescimento econômico. Empresas e seus colaboradores projetando crescimento para este ano na ordem de 2,5%. Isso em termos nominais, ou seja, sem descontar a inflação, chegaria a 6,5% de crescimento.

O tempo passa, as amarras políticas emperram avanços mais firmes das reformas estruturais, o ambiente de negócios se deteriora. Foram somente três de meses de lua de mel e, semana a semana, o crescimento da economia foi revisto para baixo. Perdemos um semestre. Se muito cresceremos 0,8% este ano.

Os empreendedores reúnem equipes, reveem as metas, buscam recursos de terceiros, aumentam o endividamento, sempre apostando que mais cedo ou mais tarde as coisas mudarão, para melhor. Passa a reforma da previdência na Câmara dos Deputados e a leitura é que agora a coisa vai. Novo lampejo de vendas. Chama a equipe, vamos rever as estratégias, vamos nos preparar porque a coisa agora vai. Curta duração. Números novamente revistos para baixo.

Para dificultar ainda mais, além dos problemas internos, tanto na área econômica como nos costumes vem à constatação que o mundo não crescerá tanto. Fala-se até em recessão. Junte-se a isso a interminável novela do acordo comercial entre China e Estados Unidos, pronto, desvio de foco e as coisas demoram ainda mais para acontecer.

Isso tudo sem falar das “caneladas” do governo Bolsonaro e do próprio Presidente em particular, envolvendo o meio ambiente, tendo ainda que contornar os problemas do vazamento de diálogos dos operadores da lava jato e denúncias ligando o Presidente da Câmara Rodrigo Maia à corrupção.

Haja estomago! O que fazer então? Jogamos a toalha? Não! Esmorecer jamais. O ambiente de negócios tem tudo para melhorar. O texto da reforma da previdência no senado federal está bem encaminhado. Tivemos a aprovação da medida provisória da Liberdade Econômica. Os juros caíram. Linhas de financiamento imobiliário estão sendo oferecidas. Os recursos do FGTS irão movimentar a economia, isso vale também para o PIS/PASEP. O cadastro positivo em breve será realidade prática, enfim, há bons indicativos tanto macro como microeconômicos.

Continue reunindo a equipe. Mude estratégias, mas não perca o foco. Faça mais com menos e acima de tudo esteja preparado para colher bons frutos. É questão de tempo.

Sem dúvida a vida dos agentes econômicos não é nada mole, mas quem opera neste mercado aqui no Brasil já está calejado, portanto, mantenha o otimismo realista!

Reinaldo Cafeo é economista e presidente da Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB.

Em meio a turbulência não se precipite

turbulência

O ambiente econômico global não vai bem. De uma guerra comercial entre os gigantes Estados Unidos e China virou a possibilidade de queda no crescimento mundial, podendo chegar a recessão econômica.

Isso tem mexido com os mercados. De um lado há anúncios de estímulos monetários e fiscais, de outro a constatação que o endividamento público de inúmeros Países cresce de maneira alarmante, indicando tempos difíceis pela frente.

O Brasil, dada sua fragilidade, à medida que os fundamentos econômicos ainda não são sólidos o suficiente para sustentar a economia no longo prazo, sente o abalo. Os indicadores do mercado apurados diariamente refletem o nervosismo dos agentes econômicos. A Bolsa de Valores não se sustenta e a cotação do dólar dispara.

Então o que fazer? Nesta hora as decisões devem ser racionais. Em meio a turbulência não se precipite.

Os Bancos Centrais dos Países envolvidos irão atuar. Serão estabelecidos estímulos monetários e os instrumentos de política macroeconômica serão utilizados na plenitude.

Tomar a decisão em meio a tantas incertezas é realizar prejuízo. Quem está com ações na Bolsa, nada de vender. Quem está exposto em moeda estrangeira nada de atos heroicos e quem opera o lado real da economia, atuando em empresas, nada a fazer. Espere a coisa se acalmar.

Os ciclos econômicos são assim mesmo. Há momentos de prosperidade e há momentos de dificuldades.

Apenas a lamentar que o Brasil dos governos anteriores não tenha aproveitado os momentos de prosperidade mundial, para tirar proveito interno. Enquanto o mundo crescia, o Brasil agonizava e nova crise mundial veio e continuamos na mesma.

Resta-nos continuar levando em frente as reformas estruturais e continuar na busca de alicerces que sustem o nosso crescimento de longo prazo, podendo tirar proveito ali na frente.

Temos que continuar tendo paciência e esperar a poeira baixar. Insisto: nada de precipitações e atos heroicos neste momento.

Reinaldo Cafeo é economista e presidente da Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB.