O necessário equilíbrio entre a saúde e a economia

O necessário equilíbrio entre a saúde e a economia

Em ambiente de pandemia provada pelo novo coronavírus é preciso ter os pés no chão, sendo imparcial o máximo possível.

Desta maneira quero deixar claro que é o momento de deixar de lado ideologias, preferências partidárias e interesses individuais. É importante colocar as coisas nesta dimensão, porque observo uma politização desnecessária neste momento.

Os profissionais de saúde, corretamente, fazem seu trabalho. São qualificados para avaliar o que a pandemia do coranavírus representa para humanidade, e passar para a população leiga, quais os caminhos da prevenção e cura (quando é possível dada a ausência de elementos para isso).

Também é verdade que os operadores do ambiente de negócios e a economia como um todo têm papel tão importante como as autoridades de saúde. Não se trata de escolher entre a vida e a economia, mesmo porque eles não concorrem, mas sim de trabalhar na convergência das duas coisas.

A geração de riqueza, em particular, depende dos setores da economia. No setor primário têm- se a extração dos alimentos, dos minérios e de tantos outros insumos necessários para que a indústria funcione. O setor secundário transforma estes insumos, as matérias-primas em produtos acabados, ou gerando equipamentos para outras indústrias e finalmente o setor terciário da economia comercializa e presta serviços a população.

O setor de saúde pertence ao setor terciário, contudo, este setor sozinho, não será capaz de equacionar o problema do coronavírus. Precisa de instrumentos que caminham entre os setores da economia para sua efetividade. O alimento, por exemplo, grande profilaxia no tocante a desnutrição da população, precisa sair do campo (setor primário), atingir o setor secundário (máquinas, veículos, etc.) e serem comercializados no setor terciário.

Como identificar neste contexto o que é essencial? Uma indústria de embalagem, por exemplo, participa da cadeia produtiva dos alimentos.

Evidentemente que as estatísticas apontam caminhos do isolamento e isso poderá fazer a diferença entre mais ou menos vidas salvas e perdidas, mas não é possível trilhar em um único caminho. Insisto, as coisas não são excludentes entre si.

Entendo que parte da população, as mais carentes e com menos recursos, estará mais protegida em seu trabalho do que sua casa, muitas precárias, com elevada densidade populacional. A falta de alimento de qualidade pode fragilizar sua saúde ao ponto de não existir resistência natural para qualquer a doença.

Neste prisma, empresas com rigor sanitário, com práticas modernas de gestão, com seus profissionais conscientes da dimensão do problema e com trabalho preventivo, com orientação, oferecendo condições adequadas de deslocamento, incluindo refeições balanceadas, podem produzir e ao mesmo tempo proteger. Horários flexíveis, com isolamento das pessoas que são do grupo de risco, vão ao encontro do que é preconizado pelos profissionais de saúde.

O que está posto é que é precisa mais diálogo e menos imposição. Insisto: sem viés ideológico, respeitando as opiniões dos especialistas em saúde, mas encontrando um meio termo para que a economia não pare por completo.

Para que tudo isso ocorra não podemos cair na tentação de tentar ter protagonismo neste momento, estar a aberto ao diálogo e mudar rapidamente de direção quando as coisas mudarem.

Isso tudo sem falar das necessárias estratégias para recuperar a economia após tudo isso passar (que espero seja logo).

Que sejamos sábios o suficiente para equilibrar as coisas e minimizar os efeitos do novo coronavírus a população. É neste momento é que descobrimos os verdadeiros líderes.

Reinado Cafeo é economista e presidente da Associação Comercial e Industrial de Bauru -ACIB. 🌐 www.reinaldocafeo.com.br

✔ Leia outros artigos como este no blog da ACIB, clicando aqui: https://acib.org.br/blog/

ACIB lança curadoria especial sobre o Coronavírus (COVID-19)

curadoria especial sobre o Coronavírus

Compreendendo o momento atual com a pandemia do COVID-19 e os impactos diretos nos negócios de nossos associados e empresas de Bauru, a Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB está desenvolvendo um trabalho de curadoria especial sobre o Coronavírus com conteúdo voltado para todo tipo de notícias, informações, orientações e serviços que estão sendo divulgados no Brasil e poderão colaborar para que possamos superar essa crise.

Continue lendo “ACIB lança curadoria especial sobre o Coronavírus (COVID-19)”

“Medidas para socorrer a economia vieram em boa hora”

Cafeo fala sobre medidas contra o coronavirus

A Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB, através do seu presidente, o economista Reinaldo Cafeo, avaliou como adequada a injeção dos R$ 147,3 bilhões na economia, anunciada pelo Governo Federal para os próximos 3 meses.

As medidas visam reduzir os impactos do Novo Coronavírus (COVID-19) sobre o sistema de saúde e negócios, uma “ação pertinente”, uma vez que a quarentena requerida para barrar o avanço da doença afeta diretamente o comércio.

Dos R$ 147,3 bilhões, R$ 83,4 bilhões deverá ser aplicado em ações que visam atender a população mais vulnerável; R$ 59,4 bilhões serão destinados à manutenção de empregos; e os outros R$ 4,5 bilhões serão usados no combate direto à pandemia.

Valorização da economia local

Mas além do apoio do governo, a ACIB convida a população a fazer sua parte na manutenção da economia, através da valorização de comércios locais. De acordo com o presidente da associação, “os pequenos negócios correm sério risco com o COVID-19 “.

“Enquanto grandes empresas franqueadas têm o capital necessário para sobreviver à crise, empreendimentos menores precisam de apoio para continuar existindo”.

Cafeo salienta que medidas mínimas, como dar preferência aos comércios dos próprios bauruenses são de grande ajuda para manter a economia girando.

Reinado Cafeo é economista e presidente da Associação Comercial e Industrial de Bauru -ACIB. 🌐 www.reinaldocafeo.com.br

✔ Leia outras notícias no blog da ACIB, clicando aqui: https://acib.org.br/blog/

ACIB adia programação de eventos de março devido ao COVID-19

COVID-19

A Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB, tendo em vista as recomendações da Secretaria da Saúde do Estado e dos cuidados da sociedade em geral na prevenção do contágio pelo COVID-19 (Novo Coronavírus), está adiando a realização dos eventos previsto para o mês de março.

Assim sendo, a Rodada de Negócios, marcada para 18/03, bem como o 2º Fórum sobre PPPs, programado para o dia 19/03, e a comemoração do mês da mulher dentro do Projeto ACIB Mulher, prevista para a última semana de março, foram todos suspensos temporariamente. Posteriormente serão divulgadas novas datas para esses encontros.

A direção da ACIB ressalta ainda que se todos adotarem as ações preventivas contra o COVID-19 e colaborarem nesse momento de extrema preocupação, mais rapidamente o ritmo do país voltará à normalidade. “O momento é de prudência e ponderação, mas, acima de tudo, de prevenção”, frisou o presidente da ACIB, economista Reinaldo Cafeo.

ACIB e ITE promovem 2° Fórum “PPPs como Instrumento de Desenvolvimento das Cidades”

Evento sobre PPPs

A cidade de Bauru recebe no dia 19 de março, a partir das 19h, no auditório da ITE, o 2° Fórum “PPPs como Instrumento de Desenvolvimento das Cidades”, sobre parcerias público-privadas.

O encontro está sendo organizado pela Instituição Toledo de Ensino (ITE) em conjunto com Associação Comercial e Industrial de Bauru (ACIB) e conta com apoio institucional da ASSENAG, Machado Meyer Advogados, Marsh e Radar PPP.

As parcerias público-privadas – possuem amparo legal desde 2004, quando do surgimento Da lei 11.079, e têm sido uma das alternativas encontradas pelos administradores públicos para equacionar o déficit da infraestrutura urbana e Social, devido ausência de recursos públicos para investimentos neste setor.

Desde então , Estados e Municípios, estão formalizando contratos de PPPs para a construção e operação de rodovias, aeroportos, iluminação pública, tratamento de resíduos sólidos, água e esgoto, hospitais, escolas, presídios, mobilidade urbana, centros administrativos, parques de laser entre outros.

Neste fórum na ITE, os especialistas do setor, Dr. Rafael Vanzela, sócio do Machado Meyer Advogados, Bruno Pereira, sócio do Radar PPP, e André Dabus, diretor de infraestrutura da Marsh participarão de um debate com mediação do economista Reinaldo Cafeo e do promotor público, Dr. Luís Carlos Gonçalves, ambos professores da ITE , compartilhando suas experiências com lições aprendidas, desde as etapas de estruturação e implantação de projetos, bem como cases de sucesso já observados no Brasil e Exterior.

Para o Presidente da ACIB, Reinaldo Cafeo, a realização deste evento em Bauru na atual conjuntura econômica do país é de extrema importância. “Essa, sem dúvida, é uma grande oportunidade para somar experiências e conhecer mais a fundo a dinâmica dessa importante ferramenta para as gestões governamentais, que são as PPPs”, explica Cafeo.

Segundo André Dabus, “este encontro proporcionará uma importante reflexão sobre os elementos essenciais que devem ser observados quando da estruturação e implementação das parcerias público-privadas, para que produzam externalidades positivas para toda população que paga impostos e espera receber uma Infraestrutura urbana e social de qualidade”.

Mais informações sobre o evento pelo WhatsApp: (14) 99860-4809.

ACIB Negócios é lançado com forte adesão do empresariado local

ACIB Negócios

A Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB – lançou no dia 28 de janeiro, o projeto “ACIB Negócios”. O evento foi realizado no auditório da entidade e contou com a presença de mais de 100 inscritos, que lotaram o local.

Formado em sua maioria por empresários locais e regionais, o público ouviu atentamente as explicações do projeto, feitas pelo presidente da ACIB, economista Reinaldo Cafeo.

Em sua apresentação, Cafeo detalhou as perspectivas de crescimento dos negócios e do País este ano e as oportunidades que todos as empresas poderão ter com o ambiente que está sendo criado pela Associação.

“O ACIB Negócios é uma proposta de aglutinar em um só local muito do que já existe em situações de networking, mas com as características que só uma entidade forte e representativa pode oferecer. Vamos ter ainda diferenciais, como uma plataforma de negócios onde já estão cadastrados todos os sócios e seus serviços/produtos (www.acibnegócios.com.br); um grupo de WhatsApp com regras claras de postagem apenas de negócios; e as reuniões onde os micro, e pequenos empresários poderão oferecer seus produtos e serviços para as grandes marcas” explicou Cafeo.

“O melhor de tudo isso é que o Associado da ACIB não pagará nada além da mensalidade para participar. Ou seja, é uma chance de ouro de incremento real dos negócios a custo zero”, completou o presidente.

Após as apresentações, que contou também com explanações da equipe de assessoria da ACIB sobre o funcionamento da plataforma e a dinâmica dos encontros do projeto, foi oferecido um coquetel aos presentes.

Próximo encontro do ACIB Negócios

O ACIB Negócios contará com eventos presenciais realizados mensalmente para gerar oportunidades de negócios. O primeiro, chamado Café & Networking, será realizado no dia 19 de fevereiro no Ibis Styles Bauru.

Para participar do ACIB Negócios, basta ser sócio da entidade. Não associados poderão participar do primeiro evento com observadores e assim decidir por se associarem para participarem dos próximos.

As inscrições para o Café & Networking estão abertas no Sympla: http://bit.ly/acibnegocioscafe1902. Mais informações sobre o projeto podem ser obtidas pelo WhatsApp (14) 99735 – 4610 ou pelo telefone (14) 3223 – 8455.

✔ Leia outras notícias no blog da ACIB, clicando aqui:
https://acib.org.br/blog/ .

Novo projeto da ACIB foca networking e novos negócios

Reinaldo Cafeo e Paulo Milreu falam sobre networking no Projeto ACIB Negócios.

Artigo publicado pelo Jornal da Cidade em 26/01/2020

Com o objetivo de estimular o networking entre empresários e fomentar negócios, a Associação Comercial e Industrial de Bauru (ACIB) lançará, nesta terça-feira (28), o ‘ACIB Negócios’, considerado pela entidade um de seus mais significativos projetos voltados ao empreendedorismo.

O coquetel de lançamento será a partir das 19h30, na sede da associação. Presidente da ACIB, o economista Reinaldo Cafeo explica que o projeto promoverá encontros mensais, em três frentes distintas, além de disponibilizar um portal e um aplicativo, que poderá ser baixado por qualquer cidadão que quiser acompanhar as novidades.

O ‘ACIB Negócios’ irá beneficiar os cerca de 350 associados da entidade, bem como empreendedores não-sócios, que terão acesso a algumas ferramentas. “A ideia fundamental é criar oportunidades de venda para estes empresários. Um poderá vender para o outro e as plataformas digitais também darão visibilidade aos produtos para o consumidor comum”, detalha.

Além de movimentar a economia, a intenção é ampliar o número de associados. Por isso, a entidade irá oferecer diferentes níveis de serviços para empresas sócias e não-sócias.

Cafeo explica que os encontros presenciais serão realizados em três modelos, um a cada mês: o primeiro será para as empresas divulgarem seus produtos, o segundo para a realização de rodadas de negócios e o terceiro para que uma empresa âncora, de maior porte, fique em contato com potenciais fornecedores.

FERRAMENTAS

As reuniões começam já em fevereiro. “Quem não for associado poderá participar como observador, podendo se associar a qualquer momento para começar a participar ativamente dos encontros”, acrescenta o economista.

Já no portal www.acibnegocios.com.br, os empresários poderão divulgar a realização de cursos, a abertura de um negócio, produtos, entre outras possibilidades. “O conteúdo do portal será público, ou seja, qualquer pessoa poderá acessar. E o empresário terá total controle sobre o que será divulgado”, detalha Paulo Milreu, assessor da ACIB.

O mesmo material será disponibilizado no aplicativo ‘ACIB Negócios’, disponível para sistemas Android e iOS. De acordo com Cafeo, o serviço será gratuito para sócios – não-sócios poderão aderir a planos, de acordo com o tipo de divulgação que desejarem fazer.

Os interessados em conhecer mais sobre o projeto ‘ACIB Negócios’ no coquetel de lançamento do dia 28 devem fazer inscrição antecipada pelo www.sympla.com.br ou pelo telefone (14) 3223-8134. As vagas são limitadas

Tisa Moraes , repórter do Jornal da Cidade.

Projeções da ACIB apontam cotação do dólar entre R$ 4 e R$ 4,15 em 2020

cotação do dólar em 2020

Empresários, turistas e economistas estão sempre de olho na cotação do dólar, mas esse valor é também muito importante para o mercado, já que o preço alguns de nossos produtos seguem a cotação internacional. Por essa razão, a Associação Comercial e Industrial de Bauru (ACIB) vêm fazendo análises da conjuntura econômica e projeções para 2020.

Algumas variáveis podem influenciar no valor do dólar, como as eleições presidenciais americanas, o acordo entre Estados Unidos e China e a situação econômica sul-americana.

Mas de acordo com o presidente da ACIB, o economista Reinaldo Cafeo, o cenário mostra-se positivo para o Brasil, com um valor variando entre R$ 4 e R$ 4,15.

         “É muito possível, dadas as condições que nós estamos projetando para a economia brasileira, com um crescimento econômico na ordem dos 2,5%, que haja uma valorização do real frente ao dólar,” afirma Cafeo. “É possível que, em algum momento durante o ano de 2020, essa cotação do dólar caia, mas podemos trabalhar com alguma coisa próxima de R$ 4,10 chegando eventualmente a R$ 4,15.”

         Ele lembra, contudo, que é difícil prever essa cotação com precisão, uma vez que muitas variáveis podem influenciar o comportamento de quem compra e vende dólares, tornando complicado estruturar isso no modelo econômico.

Entretanto, considerando uma situação de normalidade, sem problemas com o governo central ou a equipe econômica, a tendência é que o real seja fortalecido.

         “Para você, turista, pode ser um bom ano para viagens internacionais. Para você, importador e exportador, mais do que ter um câmbio nas alturas, com ele equilibrado e previsível é muito mais fácil fazer negócios no mercado internacional,” conclui Cafeo.

✔ Leia outras notícias como esta no blog da ACIB, clicando aqui:
https://acib.org.br/blog/ .

ACIB projeta 2020 com recuperação da economia e otimismo dos empresários

Reinaldo Cafeo fala sobre a recuperação da economia do Brasil em 2020

A Associação Comercial e Industrial de Bauru – ACIB – através do seu presidente, o economista Reinaldo Cafeo, está prevendo um 2020 com recuperação da economia nacional e muito otimismo por parte dos empresários.

Segundo Cafeo, ao analisar os indicadores econômicos, detectou se que o último trimestre contou com indicadores positivos, estabelecendo uma linha de tendência em crescimento e um ambiente de negócios favorável.

“Quando avaliamos a matriz macroeconômica pelo lado da demanda, fica mais fácil entender o que pode acontecer com a economia brasileira em 2020”, afirma Cafeo.

De acordo com o presidente da ACIB, esta matriz leva em conta a somatória do consumo, dos investimentos, dos gastos do governo e as exportações subtraindo as importações (o saldo da balança comercial).

“O consumo é movido por duas variáveis: renda e crédito. Aos poucos o emprego vem voltando, mas ainda são milhões de brasileiros desempregados. Porém, a queda na taxa de juros têm ofertado mais crédito e neste caso há dois efeitos no comportamento dos consumidores: o primeiro deles é a menor atratividade na aplicação financeira, e portanto, as pessoas com excedentes financeiros podem optar por consumir; o segundo, são os consumidores que precisam de crédito, uma vez que a taxa de juros é menor, podem antecipar as compras via crediário, adquirindo bens duráveis”, explica o economista.

Segundo Cafeo, a variável “consumo” deve ser muito importante, pois ela representa dois terços de influência no PIB. Além disso, os investimentos produtivos também estão voltando.

“Os últimos números de 2019 foram muito positivos e esse olhar fora do mercado financeiro também vai ser importante para isso. O que vem acontecendo? Há menos remuneração nas aplicações financeiras conservadoras, então investir em imóveis é boa opção, tanto que o crescimento da construção civil pode chegar a 3% ano que vem”, diz Cafeo.

Outra opção, de acordo com o presidente da ACIB é aplicar recursos no setor produtivo, em empresas, ampliar planta física, adquirir equipamentos e até abrir franquias, o que torna possível uma retomada da economia também através da variável “investimento”.

“Quanto aos gastos do governo, a expectativa é menor, à medida que o governo vai continuar tentando segurar os gastos públicos. Já as exportações não estão no volume que o País necessita, e ainda Brasil possui pauta de exportação fraca, porque é muito centrada em commodities, e mesmo com o acordo comercial entre China e Estados Unidos, é possível projetar saldo comercial positivo”, afirma Cafeo.

Recuperação da economia tem 3 pilares 

Em resumo, o economista explica que serão três grandes variáveis puxando a recuperação da economia no ano que vem: o consumo das famílias, os investimentos produtivos, e o saldo líquido da balança comercial.

“Com isso é possível um crescimento na ordem de 2,2% a 2,5% acima da inflação, ou seja, crescimento real. O crescimento nominal (sem descontar a inflação projetada para 2020) será próximo de 6% para o ano que vem. O indicativo que este crescimento projetado seja sustentado, notadamente porque há outros importantes indicadores que estão controlados, como por exemplo, a inflação. Isso sem contar o ajuste fiscal em curso”, diz.

O presidente da ACIB ressalta que, para consolidar toda essa projeção de recuperação da economia, o País não pode enfrentar nenhum revés e pelo menos duas reformas têm que ser iniciadas no próximo ano: a reforma administrativa, tornando o Estado um pouco mais leve, mais enxuto, e a reforma tributária, para que efetivamente o Brasil saia dessa complexidade que é o sistema tributário.

“Enfim, 2020 será um ano de recuperação e é possível ser otimista quanto desempenho econômico. Vale destacar que o País está distante de recuperar todo o tempo perdido, mas será um ano positivo, projetando crescimento econômico em praticamente o dobro do desempenho econômico de 2019”, finaliza.

✔ Leia outras notícias como esta no blog da ACIB, clicando aqui:
https://acib.org.br/blog/ .